terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Habito

Lembranças consomem
Como quando abrem feridas
Eu estou me criticando severamente de novo
Eu não quero ser aquele
Que sempre escolhe as batalhas
Eu não sei por que eu provoco
E digo o que não quero dizer
Eu não sei como fiquei assim
Eu agarro a minha cura
E tranco bem a porta
Tento recuperar o fôlego
Machuco muito mais
Do que qualquer outra vez
Estou novamente sem opções
É aceita, ou Aceita
Às vezes eu sinto como se todo mundo arranjasse um problema
Às vezes eu sinto como se ninguém quisesse resolvê-los
Pegue minha mão essa noite.
Só isso.

0 comentários: